No Candomblé e no Culto a Ifá, As Palavras Têm Poder.

Mo júbà

Como andam os estudos na apostila? Está gostando? Espero que sim e hoje vamos entender ainda mais da importância de conhecer o idioma poderoso Yorùbá.

Muito se fala de encantamentos durante um ebo, palavras certas para ativar determinado elemento. Dentro do culto a Ifá isso é mais visto, mas no Candomblé tem sua importância também.

No jogo de búzios elas são proferidas, no preparo das ervas também, durante a cachoeira e outros atos iniciatórios elas são fundamentais. Essas palavras, quase sempre em Yorùbá, o mágico é ativado, abrindo um canal para as energias agirem, atuarem ali no ato, dar poder aos elementos..

Mas será que devemos simplesmente ir falando as palavras? Há alguma regra? Por que por vezes um banho com ervas não surte o efeito desejado? Vamos agora entender o poder dos Àwon Ofò – Encantamentos Yorùbá.

 

 


O Poder Das Palavras

 

Ofò são as palavras encantadas para que determinada força aja sobre um ato, para ativar o àse de elementos, para despertar um òrìsà ou grupos de espíritos que iram ajudar quem o faz, exemplo, sìgìdì!

Um ofò não pode ser simplesmente lido e já ativa o que se deseja, não. Geralmente há preparos que a pessoa faz para assim estar apto a ativar as energias, para sua boca chamar o mágico  e este agir - purificar o hálito.

O povo Yorùbá acredita muito no poder da palavra falada, talvez por isso mesmo a escrita tenha se desenvolvido tardiamente e mesmo assim por mãos de estrangeiros e por quem tem um dia saído e retornado a sua terra. O valor da palavra se encontra no Ofò, mas claro que há outros encantos que se utilizam de palavras… Ologbohun, afose, por exemplo.

Quando se canta durante a quinar de ervas, está se ativando seu poder, ali seria um ofò para cada erva. Durante um Borí, está se ativando o poder dos elementos ali contidos, ativando o àse. Durante um ebo o mesmo ocorre.

O Candomblé é repleto desses momentos. Mas como disse, a palavra que tem o poder, nem tanto a intenção. Sendo proferida erradamente, não surte efeito…. é, essa parte muitos não sabem ou não contam. Outros preferem apenas confiar na fé puramente - lembrando que o conceito de fé é muito cristão.

Se apenas a intenção valesse, dita qualquer palavra, pronto, ativei o desejado. Não há chave de abertura… basta eu ter uma intenção. Mas para o Yorùbá não funciona assim, uma mudança de entonação, muda-se um significado da palavra.. logo, passamos a dizer outra coisa. Sério isso. Mostra porque muitas vezes muitas coisas não surtem efeito e acabam usando a desculpa da "mão que não foi boa".

 


Ofò Não é Oríkì - Entenda a Diferença

 

Ofò não é Oríkì. Ofò não é àdúrà. Ofò não é Orin. Todos estes tem seus papeis muito bem delineados, mas um ofò pode ser cantado… complexo né?

Há um encantamentos para a água, para o mel, para o dendê, para o vinho de palma. Com o encantamento certo, você levanta a fúria de èsù e ele age em seu favor. Com o encantamento certo, você clama a Òsùn e ela meiga lhe socorre com seus dengos. Com as palavras certas, Sàngó faz a justiça por ti, advoga sobre sua causa… esse é o poder das palavras no Candomblé.

Dentro do culto a Ifá o ofò é mais levado a sério, inclusive um candidato apontado pelo oráculo como Bàbáláwo deve conhecer muito bem centenas de ofò e também de oríkì, àdúrà e orin.

Muito pode ser dito sobre esses encantamentos, mas deve se respeitar alguns segredos somente revelados ao iniciados neste lindo mistério que são os àwon ofò!

 

O dábò – Oluko Vander

 

 

 

 

Então é isso, nos vemos no próximo e-mail que lhe enviarei daqui a 2 dias.

 

 

O dábò gbogbo!!
Prof. Vander